Fantasias sexuais entre casais: serão tabus até quando?

É comum lermos, ouvirmos falar, assistirmos em filmes, séries…elas estão por todo lugar: as fantasias sexuais. Quem não tem, não é mesmo?

Se qualquer pessoa pensar um pouquinho, irá se lembrar de uma fantasia que tem ou teve ou ainda uma que deseja realizar. Por mais simples que sejam até as mais inusitadas, as pessoas sexualmente ativas de forma geral, têm fantasias sexuais.

Não vamos entrar no assunto de transtornos ou perversões, mas de quando a fantasia é algo saudável! As fantasias conseguem “movimentar” a vida sexual, permitem melhor autoconhecimento, promovem satisfação e prazer, alimentam a libido e estimulam nosso cérebro…

Fantasias sexuais: mulheres ainda são um pouco mais “tímidas”

As mulheres ainda são um pouco mais “tímidas” quando o assunto são as fantasias sexuais. Afinal, foram muitos anos com a sociedade pregando que desejos, fetiches eram coisas de homens e não de mulheres. Mulheres com fantasias não eram mulheres “direitas”, “honestas”, “para casar”. O assunto era sempre relacionado à promiscuidade.

Ainda bem que esse tempo está ficando cada vez mais para trás. As mulheres têm conseguido expor mais suas fantasias, exigir dos parceiros melhores performances, exigindo orgasmos e o melhor: não sentindo culpa por nada disso.

E os homens que conseguem hoje ter uma visão mais equilibrada, aqueles que não são machistas, estão sendo surpreendidos por essa nova geração de mulheres que exigem serem satisfeitas sexualmente e terem suas fantasias realizadas.

Mas quando pensamos em relacionamentos mais duradouros e/ou casamentos, percebemos que infelizmente, alguns tabus ainda existem: é possível viver fantasias sexuais com a sua esposa ou marido, namorado, noivo, enfim…viver plenamente sua sexualidade com aquele que é seu parceiro?

E essa história de que só utilizamos de fantasias sexuais quando o relacionamento esfria?

A pergunta é: Por que não? Porque parece ser mais difícil realizar nossas fantasias sexuais dentro de uma relação mais estável? Qual o problema disso? Porque não podemos falar abertamente para nossx parceirx nossas vontades? Pelo menos falar daquelas que temos vontade em falar, claro. Algumas fantasias são secretas e fazem parte do imaginário particular, e quanto a isso, tudo bem também.

Diversas pesquisas apontam que as principais fantasias entre homens e mulheres são diferentes. Entre as mais citadas pelos homens estão o sexo a três, sexo anal e ver mulheres se masturbando. Entre as das mulheres, há mais divergência nas pesquisas: fazer sexo em um lugar romântico, fazer sexo em um lugar proibido e ter relações sexuais com outro homem são muito citadas.

Mas temos também outras possibilidades como dominar o parceiro e fazer sexo com um desconhecido como exemplos também citados. O Voyeurismo aparece bastante nas pesquisas como um desejo comum entre homens e mulheres.

E tem também as pessoas que vão preferir manter suas fantasias no campo da mente, na imaginação. Na hora do sexo, imagina outra pessoa por exemplo e apenas isso já satisfaz. Sem problemas!

É certo que ninguém é obrigado a realizar as fantasias do outro. Não é disso que estou falando. Se seu/sua parceirx quer te ver transando com outra pessoa e você não quer…não faça! Se elx tem fetiche pelo sadomasoquismo e você não curte, vocês terão que conversar…Simples assim.

A fantasia merece ser compartilhada. Tem que ser prazerosa para os dois. Mas para isso é preciso um diálogo inicial para que ambos consigam entender se faz sentido e também um diálogo posterior: foi legal para os envolvidos? Podemos repetir? O diálogo é a base de tudo não é mesmo? Alguns casais simplesmente não falam de suas fantasias por receio, vergonha e outros pares não querem ouvir… preferem não saber.

Eu tenho um amigo por exemplo que realizava suas fantasias com todas as namoradas que teve, sempre com um diálogo transparente e voltado para o prazer da mulher também. Depois de muitos anos ele se casou com uma dessas namoradas (ela realizava com ele inúmeras fantasias desde voyeur até ménage à trois, com direito a vibrador e diversas outras “brincadeirinhas”), até então tudo muito tranquilo e dialogado. Depois de casados, ele me disse que tudo mudou. Ela não topa mais as fantasias e ele acabou ficando inibido para propor.

Eu achei esse exemplo fantástico para nossa reflexão – que tabu é esse após o casamento? Porque não podemos continuar realizando nossas fantasias com os nossos parceiros quando a relação fica mais duradoura? Triste.

É importante que casais (casados ou não), se satisfaçam mutuamente. Quebrem barreiras… ultrapassem os tabus! As fantasias sexuais devem fazer parte das conversas entre os casais como qualquer outro tema. Faz parte da nossa vida! Sejam felizes (com ou sem fantasias), mas sobretudo com respeito, diálogo e muito prazer… E na era da modernidade, tem aplicativo para ajudar a realizar todas as fantasias viu?

Para nós que pensamos o Futuro do Sexo e das relações afetivas, parte de nosso propósito é contribuir para que as pessoas se frustem menos em suas relações.

Andei me questionando: já que boa parte das separações entre duas pessoas que se amam acontece por uma delas ter sido “infiel”, será que este ponto que trago, aqui hoje, não seria algo relativamente simples de ser resolvido.

Ao menos para alguns casos – se nos permitíssemos sermos mais verdadeiros com nós mesmos e complacentes (e empáticos) com os desejos “já não mais tão secretos” do outro? O que você acredita que ainda falta para a sociedade evoluir na compreensão disso em prol de um futuro mais cheio de amor?

#boracontribuirfs #futurodosexo #somostodosresponsáveis

Gostou do conteúdo de hoje sobre fantasias sexuais entre casais? Conte para a gente nos comentários abaixo! E e não deixe de acompanhar as novidades do nosso site! 

Imagem: Visualhunt

Fantasias sexuais entre casais: serão tabus até quando?

| Comportamento, Sociedade | 0 Comentários
Sobre o Autor
- ...preferindo ser também uma metamorfose ambulante...